[REVIEW] Episódio 11.23 – “Alpha and Omega”

Review
sexta-feira, 05 agosto 2016 1057 Views 0 Comments
[REVIEW] Episódio 11.23 – “Alpha and Omega”

Reuniões de família e controle de danos. Como sempre, a season finale de Supernatural começou ao som de “Carry On My Wayward Son”. Algumas coisas nunca mudam. Porém, outras mudam sim! “Alfa e Omega” trouxe um fim para o enredo da “Escuridão”, introduziu um inimigo surpreendente e encenou uma reunião no mínimo inesperada.

A temporada que passou nos trouxe coisas novas e antigas de volta. A “Baby” teve seu destaque na temporada sendo palco de grandes caçadas, velhas caças retornaram, o retorno de Lúcifer e a confirmação de que Chuck era Deus. Levando em conta os últimos episódios da temporada, terapia familiar era o necessário para resolver os grandes problemas do universo e Sam e Dean descobriram que podem ser terapeutas nas horas vagas.spn1123_0132

“Alfa e Omega” começa exatamente onde “We happy few” parou. Na sequência do ataque de Amara, Lúcifer foi lançado para longe (não se sabe onde), Castiel está de volta e Deus quase morto. Ah!! E o sol estava morrendo. O sol é a fonte de toda a vida, e sem ele, tudo estará simplesmente definhará. Então o que eles farão a seguir? Enquanto Sam está focado em encontrar um plano B, Dean decide beber, para esquecer o fracasso anterior.

Enquanto Rowena puxa o saco de Deus, Sam se concentra no que fará com Amara. Com Deus morrendo, o equilíbrio cósmico entre a luz e a escuridão acabará, e isso destruirá a todos. Para equilibrar essa balança Amara tem que ser destruída também. Mas, a questão é como? Deus revela que ela tem uma fraqueza: Luz. Mas, precisa ter a força de 10 mil sóis. Castiel sugere o uso de almas, eles só têm que encontrar  o suficiente para o trabalho. Para isso, eles se dividem: Castiel recorre ao céu e pede ajuda aos anjos, Crowley invade o inferno (embora ele ache esse plano “desesperador e estúpido”), Sam e Dean vão caçar almas em um sanatório assombrado. É aí que entra Billie, a cefeira, que curiosa com todo o movimento, acaba resolvendo ajudar no plano. Segundo ela: “Pessoas mortas é o meu tipo de coisa”. Ela cria uma bomba de almas e coloca em Dean. Entretanto, existem algumas coisas que precisam ser deixadas claras: A única maneira de fazer a bomba de almas explodir e matar Amara é o portador chegar o mais perto possível. Depois que estiver perto o suficiente é só pressionar os dedos e puf! Tudo se explode!

spn1123_1594Enquanto isso, Amara gasta seu tempo em um parque, apenas para ver as plantas ao redor dela morrer. Ela é (muito coincidentemente) acompanhado por uma mulher mais velha que fala com ela sobre sua família, como seu marido morreu e seu filho está tentando levá-la a ir para um lar de idosos. Mesmo que às vezes ela sinta raiva, a mulher explica: “Família, você sabe. Mesmo quando você os odeia, você ainda os ama”.

Falando de família, com o relógio correndo e Dean com uma bomba dentro dele, ele e Sam resolvem visitar o túmulo de sua mãe, pois eles sabem o que significará se o plano funcionar. Não é surpreendente o fato de Dean estar disposto a fazer esse sacrifício, mas é surpreendente que não há um “você não pode fazer isso” de Sam. Amara ainda é irmã de Deus, ele não se sente bem com o plano, mas entende a necessidade. Ao dizer seu adeus, Dean faz questão de dizer a Castiel para cuidar de Sam e pede para não deixá-lo fazer nada estúpido (é claro que ele vai) e declara que ele quer um funeral épico. “Você sabe o que fazer”, Dean diz a Sam e entrega as chaves do Impala.  Então tudo o que resta a fazer é para Deus enviar Dean para Amara, enquanto os outros vão para um bar esperar.spn1123_2200

Tudo correu bem, até Dean ficar frente a frente com Amara e ela sentir o poder da bomba de almas dentro dele. Daí começa uma intensa conversa sobre família, perdão e amor. Amara acha que quer se vingar do irmão, mas Dean sabe um pouco sobre vingança. Ele e Sam tiveram mais do que seu quinhão de lutas, mas não importa o quão ruim esteja a relação deles, eles sempre fazem o certo, porque eles são família. Eles precisam um do outro, e Dean acha que isso é algo que Amara tem em comum com eles: ela precisa de seu irmão. Ela pode ter pensado que ela queria algo diferente, mas no fundo, ela realmente queria seu irmão.

Ela percebe que Dean está certo e resolve expor seus sentimentos ao seu irmão. “No princípio, era só você e eu. Éramos uma família. Eu te amei e eu pensei, eu sabia que você me amava”, Amara diz a Deus. “Mas, então você foi spn1123_2656e fez todas estas outras coisas. Eu odiava. Eu odiava você ter essa necessidade de criar algo mais, algo que não era eu. E então você me aprisionou e tudo que eu conseguia pensar era em fazê-lo sofrer… pensei que a vingança me faria feliz. Mas eu estava errada. O que você fez, é lindo. Levei muito tempo para ver isso. Sei que não podemos voltar para a forma como as coisas eram antes. E nem quero. Mas, eu desejo que a gente volte a ser uma família”. É quando ela levanta a mão, eles brilham, o sol é curado e fica tudo bem novamente. Sim, foi algo relativamente simples. Porém, mais uma vez a série deixa claro o significado de “família”, Supernatural não é apenas uma série de ficção, é um show que ao longo de 11 temporadas nos ensinou valores importantes para nossa vida.

O que mais gostei foi o final inesperado. Todos aguardavam uma luta épica, mortes, sacrifícios…e no final o amor fraternal falou mais alto. Existe esperança para esse mundo doente, repleto de intenções egocêntricas? Sim! 

Amara cura Deus, e eles dizem a Dean que precisam sumir por um tempo. Depois de retirar as almas de dentro do Dean, Deus lhe diz: “A Terra ficará bem. Ela tem você e Sam”. Como presente de despedida, em troca de dar a ela o que ela mais precisava, Amara diz a Dean que retribuirá o que ele fez por ela. Os irmãos divinos somem no ar, e deixam Dean em um lugar remoto. O Winchester sai andando atrás de sinal de celular, quando escuta alguém pedindo ajuda…ele se depara com ninguém mais, ninguém menos que sua mãe, Mary Winchester.

Enquanto isso,  Lady Toni Bevell recebe um telefonema e se dirige para Kansas, com uma arma em sua bolsa. Ao spn1123_3119voltar para o bunker e pensar que Dean está morto, Sam e Castiel se batem com ela esperando. Ela envia Castiel para longe e aponta uma arma para Sam. Aparentemente, ela faz parte dos Homens das letras, com sede em Londres. São tradicionais e discretos. Eles a enviam, pois têm acompanhado o dano que os irmãos Winchesters vêm causando e basta! Sam, tenta dialogar como sempre e acaba não acreditando na coragem da moça de atirar nele. Se enganou feio! Ela atira, mas a cena é cortada. Apesar de ouvirmos o barulho, será que ela realmente atingiu Sam? Isso é algo que saberemos na estreia da 12ª temporada!

Comentarios do Facebook

Mylla Barbosa

Mylla Barbosa

Enfermeira, baiana, blogueira, apaixonada por livros, fotografia, música, filmes, séries e tecnologia! Sou fã de Supernatural há quase 10 anos. Fundei o site em 2008 com o intuito de criar um acervo virtal da série, com compartilhamento simples e original ao alcance de todos!

155 posts | 2 comments http://www.sobrenaturalbrazil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.