[Review] Comentando o episódio 9.12 – “Sharp Teeth” de Supernatural

Notícias
sábado, 01 fevereiro 2014 2153 Views 19 Comments
[Review] Comentando o episódio 9.12 – “Sharp Teeth” de Supernatural
Sua opinão é importante. Deixem seus comentários no final da página.
Depois um episódio simplesmente épico como “First Born”, Sharp Teeth nos surpreendeu superando os índices, tomando o título para si! Boa parte dessa audiência se deve justamente ao estrondo causado por seu sucessor, mas apesar de um Filler, menos tenso e avassalador, tivemos um bem-vinda fatia da torta que a tempos queriamos degustar: O que houve com Garth?

Este é o décimo segundo episódio da série dirigido por John Showalter (foto) que integra a equipe de direção desde a quinta temporada. Este também é o décimo episódio da série escrito por Adam Glass (foto) que integra a equipe de roteiristas desde a sexta temporada e dentre os mais recentes, escreveu 8×12-“Time Goes By”, Onde conhecemos Henry Winchester, o avô paterno dos irmãos e Abaddon) e 8×06-“Southern Comfort”, última aparição de Garth até então.
 
                       John Showalter (Diretor)               Adam Glass (Escritor)
Já de início, Garth acaba atropelado numa rodovia ao fugir
dos tiros de um fazendeiro que não hesitou em defender sua propriedade do
desconhecido intruso e acaba no hospital.
E lá temos um impasse inevitável: o
encontro dos irmãos Winchester. Quando Sam chega ao quarto de Garth, Dean já estava lá
e o desconforto de ambos é quase palpável tamanho o
silêncio antes da primeira palavra entre eles.
 

O desconforto de Dean é tão grande
que ele se mantém calado, temendo repreensão por “impor” sua presença diante de Sam e demonstrando também culpa e respeito pela decisão do irmão em manter-se
afastado. Felizmente, Sam inicia o
diálogo, ainda que visivelmente incomodado. Esse momento em pleno silêncio, reflete a mútua solidariedade entre ambos, cuja chama ainda vive. E isso é ainda mais contrastado em cena com a
proposta de Dean em dizer ao irmão que pode se retirar por ter tudo sob
controle.

Só por esse momento a dupla e a direção do
episódio já merecem um Parabéns.
 

E o melhor é que involuntariamente, Garth foi a
peça chave para essa união se fazer necessária, trazendo de volta a
cumplicidade deles, como na decisão de acorda-lo, onde Sam fecha a porta e Dean tomaria a frente com a injeção de
Adrenalina que Sam advertiu não tratar-se de um método seguro e nos
surpreende com um tapão em Garth, atitude que esperaríamos mais de Dean,
culminando no grito assustado de Garth ao acordar, finalizando o momento com
sua peculiar tônica cômica nos fazendo rir.

Garth é questionado ao afirmar que estava em
uma caçada quando foi a fazenda e antes que pudesse responder o que caçava, corre para o banheiro
passando mal e nesse meio tempo os irmãos ainda sem jeito, mas com mais
naturalidade, reestabelecem um diálogo e diante dessa tensão a direção ainda
encaixam citações cômicas ainda que em tom de seriedade quando Sam pergunta se a
marca de Caim no braço de Dean, era do lutador americano Cain Velasquez, campeão dos pesos pesados no UFC.
  
 

Garth fugiu
pela janela e fazendo os irmãos trabalharem juntos novamente e durante todo o decorrer
da película fica nítido que seria preciso muito para desfazer os laços que os
unem, como quando Dean tenta deixar Sam de fora do caso omitindo as pistas que
conseguiu quando o mesmo o surpreende ao encurralá-lo na esquina, demonstrando
que conhece o irmão muito bem, sabendo identificar quando o mesmo mente. Ao rastrearem o paradeiro de Garth
surpreendem-se com a descoberta de que Garth agora é um lobisomen, evidenciando
o por que de seu sumiço. Muitos podem achar que o roteiro não soube
aproveitar o máximo de Garth, mas na verdade é o oposto, já que  ele simplesmente desapareceu quando ficou
claro que ainda retornaria na série e muitos estavam curiosos sobre seu
paradeiro.

  
   

Além do mais, por mais divertido e engraçado que Garth seja, aqui
explorou-se o lado mais sensível do personagem, demonstrando que como qualquer ser
humano, um caçador também é atraído pela idéia de poder ter uma vida normal em
família, que diga-se de passagem DJ Qualls conseguiu interpretar bem isso, além do sentimento de frustração e derrota que não o encorajou a
contar aos amigos que falhará fatalmente como caçador, a ponto de quase morrer e posteriormente, suicidar-se. E mais do que isso, ainda conseguiu em meio ao
tom romântico e até dramático de sua história desastrosa, pincelar suas falas
com o peculiar jeito de Garth se referindo aos irmãos numa perspicaz descrição:

“Esse é Dean, Ele pode começar uma briga
sozinho numa casa vazia, mas no fundo é um grande urso de pelúcia e Sam, apesar
de um tanto inseguro as vezes, mas sempre por bons motivos..”
  
 

Convidado por Garth, Dean vai conhecer sua nova
familia e é recebido com hospitalidade por Jim (Tom Butler) Joy (Eve Gordon) no lar do Clã de licantropos que
não machucam humanos para sobreviver, mas Dean em momento algum consegue
convencer-se com o perfeito cenário já que seu “sentido-aranha ” afiado não
costuma falhar e as coisas ficaram ainda mais suspeitas com a intimidação de
Russel (Adam Lolacher) e Joba (Peter Benson) e a certeza quando o Xerife Pat (Matt Hamilton) tenta encurralá-los na floresta, que mais
tarde descobrirmos ser membro de um Clâ intitulado Ragnarok, o fim dos dias
para os humanos e dominação total dos filantropos, liderado pela última descendente, a
esposa do reverendo Jim, que pretendendia mata-los para punir Garth por ter trazido caçadores.

 
  
 

Apesar de todo o extremismo em seus ideais, foi interessante a citação do Clã de filantropos afirmando que enquanto houver um homem, não pode haver paz, por que o homem destrói. Ela premedita revoltar o marido para inciar o
Ragnarok através da união de seu Clã, sacrificando a enteada e incriminando os
Winchester. Mas Dean aparece em tempo de impedir e a mata com o
tiro de Prata no peito. Dean e Garth se despedem com  o tradicional “Amigo Hug”.É interessante saber que Garth pode vir a ser
útil com seus poderes sobrenaturais, afinal, só Deus sabe o que o destino
reserva para os irmãos nos próximos passos da jornada…

    
 
 
O melhor momento acaba sendo a cena final. Foi gratificante ver o esforço de Dean em pedir
que Sam não fosse, sem saber que palavras usar e sem jeito para expressar o
amor pelo irmão reflete na recorrente atitude de não desistir da família, que
sempre foi o propósito do que fazem e o que mais aprendeu de melhor o Patriarca
 John.
Por outro lado é angustiante ver a relutância de
Sam em perdoá-lo embora tenha sido compreensível o lado de Sam ao hesitar em continuar ao lado do irmão, sendo que o desespero de Dean em preservar o que resta da Família
se torna um obstáculo para o que se deve ser feito como quando Sam
estaria disposto a dar a própria vida para selar os portões do inferno. É fato que desde sempre eles lutam contra a ordem natural das coisas ao ponto de se oporem contra o propósito de suas vidas, como quando para que seu filho não morresse, John fez um pacto com o próprio Azazel, cujo a morte era seu objetivo de vida.
 “Tudo o que deu errado entre nós aconteceu exatamente por sermos uma família.”-Sam
 

Apesar de ter aceito trabalharem juntos, Sam deixou claro que não confia mais em Dean.

Será que o destino dos irmãos estão destinados a serem opostos, assim como o fato de outrora estarem prédestinados a ser receptáculos de Lúcifer e Miguel? Tudo realmente deu errado por que os
irmãos são uma família? Sammy crê que sim. Estas perspectivas os farão trilhar caminhos opostos definitivamente? Será esta a verdadeira solução
definitiva de tudo?
Continua nos próximos episódios…
Se você ainda não viu o Episódio 
 
 
Comentarios do Facebook

admin

admin

Prazer, somos Hunters! Estamos desde 2008 atualizando este site com o intuito de criar um acervo virtual da série Supernatural, com compartilhamento de arquivos de forma simples, grátis e original ao alcance de todos . Sejam bem-vindos!

1926 posts | 355 comments http://www.sobrenaturalbrazil.com.br

19 Comemtários

  1. Essa Família de Lobisomem já está abrindo brecha pro spin=off?

    Muitos estão contra o Sam, mas fala sério, o Dean pegando mentira logo de cara foi revoltante.

    Gostei de rever o Garth, apesar desse acontecimento. Vi Dean brigando com Garth sobre ele ter sumido, mas acho que aquela raiva toda pra cima do Garth era a revolta somada a tudo o que o Dean tá enfrentando. Eu pude entender o ponto de vista do Garth, não o culpo por ter se escondido dos caçadores. Ainda mais porque ele sabia que o Kevin estando com os Winchesters qualquer pensaria que o moleque tava seguro.

    Sobrenatural sempre mostrando os perigos do fanatismo religioso, pelo menos na crença ainda existia os que fazem o bem.
    Na cena em que Dean está jantando com os licantropos reflete bem a sensação de um vegetariano num churrasco de família.

    Depois 8×04 e esse episódio penso que aquela personagem do 2×17 não precisava ter morrido :'(

    • admin admin says:

      Finalmente conto com sua participação por aqui Gabrielo! RSRSS.
      Então, não sabemos afirmar mas quem sabe já não seja. Mas sinceramente eu esperaria que não, por que lobisomens é um tema saturado e precisaria ser abordado com algum diferencial, sabe?

    • admin admin says:

      Nem me fale Gabrielo! Adorei a Loba! Ela era carismática demais. Mas naquela época era bem Old School o negócio da família e infelizmente ela não tinha controle sobre sua transformação, tanto que era como se nem lembrasse do que fazia, mesmo com sentimentos pelo Sam, o lobo dentro dela superava todo o lado humano que ela pudesse ter.
      Realmente a decisão de Dean foi muito arriscada, mas de fato foi boa por que Gadreel nao apenas ajudou a salvar a vida de Sam, como salvou a vida de Charlie e Cass, né?

  2. Anônimo says:

    Pessoal! e a marca que Cain passou para o Dean? Algo me diz que a história de Cain e Abel que tanto conhecemos tem haver com o futuro dos irmãos winchesters! Será!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.